Autorizado em janeiro de 2015 novo edital para Concurso na AGED-MA.

Confira informações e conteúdo do último edital (2005)

concurso-aged-MAÚLTIMO EDITAL: 2005
CARGO: FISCAL DE DEFESA ANIMAL – ESPECIALIDADE: MÉDICO VETERINÁRIO
CONHECIMENTOS GERAIS
Língua Portuguesa: Ortografia. Acentuação gráfica. Flexão nominal e verbal. Pronomes: emprego, formas de tratamento e colocação. Emprego de tempos e modos verbais. Vozes do verbo. Concordância nominal e verbal. Regência nominal e verbal. Ocorrência de crase. Pontuação. Redação (confronto e reconhecimento de frases corretas e incorretas). Compreensão de texto.
Noções de Informática: Conceitos de Internet, Intranet e correio eletrônico. Ferramentas, procedimentos, serviços e aplicações Web. Conceitos de protocolos, de redes de computadores locais e remotas e de comunicação de dados.
Conceitos de proteção e segurança em informática. Conceitos básicos e modos de utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos e procedimentos de informática: tipos de computadores, conceitos de hardware e software, instalação de periféricos. Conceitos de bancos de dados, dispositivos para armazenamento, organização e gerenciamento de arquivos, pastas e programas, procedimentos de segurança e backup. Principais aplicativos comerciais para: edição de textos (MS-Word) e planilhas (MS-Excel), geração de material escrito, visual e sonoro (extensão PDF; POWER POINT).
Noções de: Atualidades políticas, econômicas e sociais. Direitos e garantias fundamentais (artigo 5º da Constituição Federal). Geopolítica do Estado do Maranhão. Geografia do Maranhão: Clima, Solo, Regime pluviométrico, Hidrografia e Relevo. Economia do Maranhão: Extrativismo, Agropecuária, Indústria e Comércio. Lei nº 8.078 de 11/09/1990 –
Dispõe sobre a proteção e defesa do consumidor, e dá outras providências. Compreensão dos fundamentos da política nacional do meio ambiente (Lei nº. 6.938 de 31 de agosto de 1981).
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Legislação Federal: Defesa Animal: Decreto nº 24.548, de 03/07/1934 – Aprova o regulamento de Defesa Sanitária Animal. Lei nº 1283, de 18/12/1950 – Dispõe sobre a inspeção industrial e sanitária dos produtos de origem animal. Decreto nº 30.691, de
29/03/1952 – Aprova o regulamento da Lei 1.283, de 18/12/1950. Lei nº 9.712 de 20/11/1998 – Altera a Lei nº 8.171 de 17/01/1991, acrescentando-lhe dispositivos referentes à Defesa Agropecuária. Portaria nº 11, de 03/11/1983 – Define prazos para movimentação de bovinos e bubalinos após a data da aplicação da vacina contra a febre aftosa. Portaria
nº185, 01/12/1993 – Define normas para o trânsito de bovinos e bubalinos em relação à vacinação contra a febre aftosa. Portaria nº 121, de 29/03/1993 – Aprova as normas para combate à febre aftosa em todo território nacional.
Portaria nº 50, de 19/05/1996 – Aprova os critérios técnicos para níveis de riscos por febre aftosa. Portaria nº 516, de 09/12/1997 – Declara o Brasil livre de Encefalopatias Espongiformes Bovina. Instrução Normativa nº 17 de 27/07/2000 – Normas e procedimentos para declaração e reconhecimento de um país ou zona livre de enfermidades transmissíveis. Portaria 04, de 21/01/2000 – Altera o Anexo I do artigo 5º da Portaria nº 50 de 19/05/1996. Instrução de Serviço nº 21, de 07/12/2001 – Dispõe sobre a comercialização e utilização de vacina contra Brucelose. Instrução Normativa nº 08, de 13/02/2001 – Procedimentos para movimentação de animais importados de países com
Encefalopatias Espongiformes Bovina. Instrução Normativa n° 05, de 01/03/2002 – Aprova normas técnicas para o controle da raiva dos herbívoros domésticos. Instrução Normativa nº 61, de 18/08/2003 – Estabelece procedimentos para ingresso de animais e produtos no Estado do Pará. Instrução Normativa nº 82, de 20/11/2003 – Estabelece procedimentos para ingresso de animais e produtos na zona livre com vacinação e revoga as Instruções Normativas nºs 43, de 28/12/1999; 52, de 28/12/2000; 28, de 12/06/2001; 58, de 22/10/2002 e o artigo 1º da Instrução Normativa nº 05 de 17/01/2003. Instrução Normativa nº 05, de 17/01/2003 – Estabelece normas para ingresso de animais, produtos e subprodutos de origem animal no Estado de Santa. Catarina. Instrução Normativa n° 06 de 08/01/2004 –
Aprova o regulamento técnico do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal e revoga a Instrução Normativa nº 02 de 10/01/2001. Portaria nº 09, de 15/01/2004 – Declara o Estado do Acre, os municípios de Guajará e Boca do Acre, no Estado do Amazonas, e os municípios localizados na Região Centro-Sul do
Estado do Pará livres de Febre Aftosa com vacinação. Instrução Normativa nº 10, de 15/01/2004 – Estabelece normas para a habilitação de Médico Veterinário interessado para atuar no Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose Animal. Instrução Normativa nº 11, de 16/01/2004 – Proíbe o ingresso de animais,
produtos e subprodutos de origem animal, presumível veiculador do vírus da Febre Aftosa, no Estado do Acre, nos municípios de Guajará e Boca do Acre, no Estado do Amazonas, e nos municípios localizados na Região Centro-Sul do Estado do Pará. Portaria nº 193, de 19/09/1994 – Institui o Programa Nacional de Sanidade Avícola. Instrução Normativa nº 04, de 30/12/1998 – Dispõe sobre o Regulamento Técnico para registro, fiscalização e controle sanitário nos estabelecimentos avícolas. Instrução Normativa nº 32, de 13/05/2002 – Estabelece Normas para Vigilância de Newcastle e Influenza aviária. Instrução Normativa Conjunta nº 02, de 21/02/2003 – Dispõe sobre o Regulamento Técnico para estabelecimento de criação de Ratitas. Instrução Normativa nº 17, de 16/11/2001 – Estabelece medidas sanitárias para Influenza ( gripe ) Eqüina. Instrução de Serviço nº 09, de 30/08/2000 – Estabelece Normas de combate ao Mormo. Instrução Normativa nº 16, de 18/02/2004 – Aprova as Normas para a prevenção e o controle da Anemia Infecciosa Eqüina e revoga a Portaria nº 77 de 28/09/1992. Instrução Normativa nº 01, de 04/01/2001- Declara o Brasil como zona livre de Peste Suína Clássica. Instrução Normativa nº 01, de 04/01/2001 – Estabelece Normas para o ingresso em zona livre de Peste Suína Clássica. Instrução Normativa nº 06, de 09/03/2004 – Estabelece Normas para a Erradicação da Peste Suína Clássica e revoga a Portaria nº 201 de 15/03/1998. Portaria nº 108 de 17/03/1993 – Estabelece Normas para o funcionamento de Exposições, Feiras e Leilões. Portaria nº 162, de 18/10/1994 – Aprova as normas complementares da Portaria nº 108 de 17/03/1993. Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal: Portaria nº 304, de 22/04/1996 – Normaliza os funcionamentos dos estabelecimentos de abate de ovinos, bubalinos, suínos e bovinos. Instrução de Serviço nº 10, de 15/04/1991 – Caracteriza tipos de inspeção e disciplina o trânsito de produtos de origem animal. Portaria nº 90, de
15/07/1996 – Institui a obrigatoriedade da afixação de etiquetas – lacres de segurança nos cortes primários (quartos de carcaças) e cortes secundários do traseiro de bovinos e bubalinos. Portaria nº 371, de 04/09/1997 – Aprova o regulamento técnico para rotulagem de alimentos embalados. Portaria nº 185, de 13/05/1997 – Aprova o regulamento de identidade e qualidade de peixe fresco inteiro e eviscerado. Portaria nº 368, de 04/09/1997 – Aprova o regulamento técnico sobre as condições higiênico-sanitárias e de boas práticas de fabricação para estabelecimentos elaboradores/industrializadores de alimentos. Portaria nº 89, de 15/07/1996 – Institui o Programa de Distribuição de carnes bovinas e bubalinas ao comércio varejista, previamente embaladas e identificadas. Portaria nº 145, de 01/09/1998 – Dispõe sobre o Programa de Distribuição de carnes bovinas e bubalinas ao comércio varejista, previamente embaladas e identificadas. Legislação Estadual (Maranhão): Lei nº 7.734, de 19/04/2002 – Dispõe sobre alterações na estrutura organizacional do Governo do Estado e dá outras providências – Criação da AGED-MA. Decreto nº 19.399 de 24/02/2003 – Dispõe sobre a organização da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED-MA), e dá outras providências. Defesa Animal: Lei nº 7. 386, de 16/09/1999 – Dispõe sobre a Defesa sanitária Animal no Estado do Maranhão. Decreto nº 20.036, de 10/11/2003 – Aprova o regulamento da Lei nº 7.386 de 16/09/1999. Portaria nº 134, de 02/10/2003, da AGED – Proíbe em todo território maranhense a vacinação de ovinos, caprinos e suínos contra a Febre Aftosa. Portaria nº 35, de 08/05/2003, da AGED – Determina o controle e fiscalização do estoque e do
acondicionamento de vacina contra a Febre Aftosa em todos os estabelecimentos revendedores do Estado. Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal: Lei nº 7.387, de 16/07/1999 – Dispõe sobre a prévia inspeção industrial e sanitária dos produtos de origem animal no Estado do Maranhão. Decreto nº 17.114, de
14/12/1999 – Aprova o regulamento da Lei nº 7.387, de 16/07/1999.
Conhecimentos de: Doenças da Lista A: Febre Aftosa, Estomatite Vesicular, Língua Azul, Influenza Aviária e Newcastle. Doenças da Lista B: Raiva, Brucelose, Tuberculose, Cisticercose, BSE, Anaplasmose, Babesiose, Epididimite ovina, CAE, AIE, mormo, gripe eqüina, marek, micoplasmose. Doenças da Lista C: Carbunco sintomático,
Botulismo, Salmonelose. Programas sanitários nacionais: Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros e outras encefalopatias, Programa Nacional de Sanidade Avícola – PNSA, Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose – PNCEBT, Programa Nacional de Sanidade dos Eqüinos – PNSE, Programa Nacional
de Erradicação da Febre Aftosa – PNEFA. Inspeção de Produtos de Origem Animal: boas práticas de fabricação, Classificação dos Estabelecimentos, Fluxograma de Abate de Bovinos, Bubalinos, Suínos, Inspeção Industrial e Sanitária do Leite e seus derivados, Abate de Aves e pequenos Animais. Epidemiologia descritiva. Principais usos da
epidemiologia. Conceitos sobre vigilância epidemiológica. Circuitos pecuários do Brasil.

**** IFOPE – o curso mais completo e que entrega mais resultados para Fiscais Agropecuários ****

Último edital disponível em http://www.concursosolucao.com.br/editais/Aged.pdf