Assim como os seres humanos, as plantas são seres vivos que necessitam de alimentos para crescer e se desenvolver de maneira saudável. No caso das plantas, elas obtêm seu alimento através do solo. Essas substâncias das quais as plantas se alimentam são chamadas de nutrientes, que, por sua vez, se classificam em dois grupos: macronutrientes e micronutrientes.

Enquanto os macronutrientes são necessários em maiores quantidades para a planta, os micronutrientes são consumidos em quantias menores.

Hoje vamos nos aprofundar no assunto de macronutrientes. Descubra qual sua função na nutrição das plantas, porque são importantes e, ainda, as principais diferenças entre macronutrientes e micronutrientes. Caso você queira saber um pouco mais sobre micronutrientes, é só acessar este outro conteúdo do blog: Micronutrientes e a importância para a nutrição de plantas.

Continue lendo para saber tudo sobre os macronutrientes das plantas!

O que são macronutrientes?

Os macronutrientes são um tipo de nutrientes essenciais ao desenvolvimento das plantas. São elementos básicos dos quais a planta necessita em maior volume. Assim como os micronutrientes, os macronutrientes são responsáveis por aumentar a produtividade das plantações.

Os macronutrientes são: 

  • carbono (C), oxigênio (O), hidrogênio (H) (retirados do ar e da água);
  • nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg) e enxofre (S) (retirados do solo, em condições naturais).

Cada um desses nutrientes é utilizado em um local diferente e tem uma função específica.

Conheça, de forma mais detalhada, cada um deles:

Macronutrientes não minerais

Conheça os três macronutrientes não minerais, que são retirados do ar e da água.

Carbono

O carbono é responsável por formar a estrutura das biomoléculas das plantas, incluindo amido e celulose. As plantas o retiram do ar na forma de gás carbônico (CO2). Além disso, ele auxilia o vegetal a fazer a reserva de energias. 

Hidrogênio

O hidrogênio provém da água, sendo obtido quase que totalmente por meio dela. Ele auxilia na composição de biomoléculas, compondo carboidratos e formando a estrutura das plantas.

Oxigênio

O oxigênio é utilizado na respiração celular. O processo de respiração transforma açúcares que provêm da fotossíntese em energia, gerando trifosfato de adenosina (ATP).

Macronutrientes minerais

Conheça os macronutrientes minerais, que são retirados do solo:

Nitrogênio

O nitrogênio é um componente essencial das proteínas, sendo indispensável para que o desenvolvimento proteico ocorra bem. Por esse motivo, a falta de nitrogênio leva à má formação celular. Um exemplo disso são as atrofias.

Fósforo

O fósforo é essencial para os processos energéticos. Sendo componente do ATP, ele possibilita o processo de fotossíntese, convertendo energia solar em energia química. O fósforo é importante para formar a maioria das estruturas celulares da planta, auxiliando no  crescimento vegetal, floração e formação de sementes.

Potássio

O potássio ajuda a manter os níveis hídricos do vegetal conforme a água disponível. Para tanto, ele regula a abertura e fechamento de estômatos alterando a turgidez das células-guarda que são induzidas por uma bomba de potássio na parede celular. E, já que os estômatos auxiliam a regular a perda de água das plantas, o potássio ajuda a diminuir perdas de água e, consequentemente, aumenta a tolerância a secas.

Cálcio

O cálcio ajuda a transportar nutrientes dentro da planta e a sintetizar determinadas enzimas.

Magnésio

O magnésio é um importante componente da molécula de clorofila, pigmento vegetal essencial para a fotossíntese. Ele ajuda a sintetizar determinadas enzimas. Seu papel como cofator enzimático é importante na produção de ATP.

Enxofre

O enxofre é um componente estrutural de alguns aminoácidos e vitaminas e é fundamental na composição celular de cloroplastos.

Qual a importância dos macronutrientes?

Os nutrientes são essenciais para que a planta cresça e se desenvolva com saúde. A falta ou excesso de nutrientes pode causar problemas para as plantas. Uma forma de perceber isso é por meio dos sintomas apresentados. Confira os principais sintomas da deficiência de cada macronutriente:

  • Deficiência de nitrogênio: folhas velhas, com cor pálida e verde-amarelada, iniciando sua incidência a partir da ponta;
  • Deficiência de fósforo: folhas amareladas com zonas mortas que rapidamente destroem a folha. A deficiência de fósforo é bem semelhante à deficiência de nitrogênio;
  • Deficiência de potássio: folhas ficam finas e apresentam buracos pequenos;
  • Deficiência de cálcio: folhas novas vão enrolando e empalidecendo;
  • Deficiência de magnésio: a folha inteira, incluindo folíolos, apresentam uma cor pálida. Em casos mais graves, a folha pode cair;
  • Deficiência de enxofre: as plantas pouco se desenvolvem, ficando raquíticas e anãs. As folhas se tornam amarelas, mas não se deve confundir com deficiência de nitrogênio.
Aparência da folha conforme cada tipo de deficiência nutricional

Conhecer a importância dos macronutrientes, além do seu comportamento no solo, as fontes disponíveis, os níveis adequados e necessidade de cada cultura e, ainda, quais os sintomas de sua deficiência, auxilia na manutenção da plantação, ajudando, inclusive, a identificar a necessidade de adubação e qual a mais adequada.

Como a deficiência, excesso e condição ideal de nutrientes se apresentam?

Veja as três possibilidades de condição dos nutrientes no crescimento e desenvolvimento das plantas:

  • Deficiência de nutrientes nas plantas: a planta cresce e se desenvolve conforme o fornecimento de nutrientes aumenta;
  • Nível adequado de nutrientes nas plantas: a planta cresce e se desenvolve de forma máxima, independente do fornecimento de nutrientes;
  • Excesso de nutrientes nas plantas: a planta reduz seu crescimento e desenvolvimento conforme o fornecimento de nutrientes aumenta.

Quais as principais diferenças entre macronutrientes e micronutrientes?

Como destacamos logo no início do texto, a primeira diferença que podemos observar em relação aos macronutrientes e micronutrientes está na quantidade que a planta consome de cada um deles. Enquanto os macronutrientes são consumidos em quantidades elevadas, os micronutrientes são consumidos em quantias bem pequenas. Assim, os macronutrientes podem ser considerados nutrientes principais, e os micronutrientes, nutrientes secundários.

Enquanto os macronutrientes são carbono (C), oxigênio (O), hidrogênio (H), N (nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K) magnésio (mg), cálcio (Ca) e enxofre (S), os micronutrientes são: boro (B), ferro (Fe), zinco (Zn), manganês (Mn), molibdênio(Mo), cobre (Cu) e cloro (Cl).

Além disso, os micronutrientes se dividem em dois grupos: catiônicos (de carga elétrica positiva): Cobre, Ferro, Manganês e Zinco e aniônicos (de carga elétrica negativa): Boro e Cloro. 

Em geral, os micronutrientes encontram-se em ambientes alcalinos, onde o pH é entre 7 e 7,5. Já os macronutrientes encontram-se em lugares ácidos, com pH entre 6,2 e 7,0. Lembrando que ambos são necessários para que as plantas se desenvolvam de forma saudável. Por esse motivo, quando o solo não possui quantidades suficientes desses nutrientes, é necessário fazer uso de fertilizantes.

Como o assunto de macronutrientes cai em concursos públicos?

Por se tratar de um tema importante para a área de Engenharia Agrônoma, os macronutrientes podem aparecer com frequência em questões de provas e concursos públicos. Por isso, se você deseja prestar concurso público é importante estar preparado! E isso inclui estudar este e outros temas pertinentes à área. 

Abaixo, separamos um exemplo de questão que apareceu em um concurso público em 2020. Confira:

FAFIPA – Engenheiro (Pref Arapongas)/Agrônomo/2020

Cada um dos macronutrientes e dos micronutrientes exerce pelo menos uma função dentro do sistema vegetal e a sua deficiência ou excesso provoca sintomas de carência ou de toxidez, característicos. Para que o elemento seja considerado essencial, é necessário que este atenda a alguns critérios:

I. Um elemento é essencial se sua deficiência impede que a planta complete seu ciclo de vida.

II. Para que um elemento seja essencial ele não pode ser substituído por outro com propriedades similares.

III. O elemento deve participar ativamente no metabolismo da planta e que seu benefício não seja somente relacionado ao fato de melhorar as características do solo, melhorando o crescimento da microflora ou algum efeito similar.

A) Todas as assertivas estão corretas.

B) Apenas a assertiva I está correta.

C) Apenas as assertivas I e II estão corretas.

D) Apenas as assertivas I e III estão corretas.

E) Apenas as assertivas II e III estão corretas.

Resposta: A.

Lembrando que, para estar preparado para prestar concursos públicos, é importante manter uma rotina de estudos adequada. Para tanto, é essencial entrar em contato com materiais confiáveis, atualizados e de qualidade! O Ifope pode te ajudar nisso. Nós temos uma série de cursos preparatórios gerais e específicos da área de engenharia agrônoma. Clique aqui para conhecer e comece hoje mesmo sua preparação rumo à tão sonhada vaga!