Diferença entre as principais normas ISO da indústrias de alimentos

Segundo especialistas, a principal dificuldade na implementação de normas ISO é o conhecimento técnico insuficiente da equipe. Muito se fala sobre importância dessas normas nas indústrias de alimentos, mas poucos profissionais da área sabem as diferenças entre as principais existentes. Leia o post abaixo e esclareça suas dúvidas!

O que são as normas ISO? E quais as principais aplicáveis às indústrias de alimentos?

A sigla ISO denomina a International Organization for Standardization ou Organização Internacional de Padronização, um instituto que desenvolve normas, testes e certificações com o objetivo aprimorar o comércio de bens e serviços. Criada em 1946, suas normas e padrões são definidas por consenso dos países membros. 

Por se tratar de uma organização composta por especialistas de todo o mundo, apresenta elevada credibilidade no mercado e, portanto, é altamente cobiçada pelas empresas.

No Brasil, a ISO é representada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, entidade privada e sem fins lucrativos que promove à sociedade do pais conhecimento sistematizado, contribuindo para o desenvolvimento científico e tecnológico, proteção do meio ambiente e defesa do consumidor. 

São vários os tipos de ISO, e muitas são aplicáveis a alimentos e bebidas, que tratam de assuntos diversos como qualidade, segurança de alimentos, logística, rastreabilidade, rotulagem, embalagem e armazenamento. 

Dentre eles podemos citar como as principais a ISO 22000 e a ISO 9001. Ambas passiveis de certificação.

ISO 9001

Trata-se do Sistema de Gestão de Qualidade que tem por finalidade garantir a otimização de processos, maior agilidade no desenvolvimento de produtos e na produção, objetivando satisfazer os requisitos dos clientes. A versão mais recente da ISO é a de 2015.

Qualquer empresa que deseja melhorar a forma como trabalha e como é gerenciada pode implantar a ISO 9001, não importando o seu tamanho ou o seu setor de atuação. 

São inúmeros os benefícios da implementação da ISO 9001 em uma organização, dentre eles podemos citar:

  • redução de custos e aumento de produtividade;
  • planejamento e controle de forma sistemática das rotinas de trabalho (com padronização e definição de responsabilidades);
  • aumento de oportunidades de mercado, já que muitas empresas grandes só compram de fornecedores que têm o selo ISO 9001;
  • redução de riscos e melhoria na relação com fornecedores e investidores;
  • melhoria da imagem da empresa.

ISO 22000

Trata-se do Sistema de Gestão de Segurança de Alimentos que tem por finalidade garantir a segurança de alimentos abrangendo todas as organizações envolvidas na cadeia alimentar, ou seja, todos os setores desde a “colheita à mesa”. A versão mais recente da ISO é a de 2018, como válida para auditoria a partir de 1º de janeiro de 2020. 

Essa norma faz parte do Esquema de Certificação FSSC 22000, que inclui os requisitos da ISO 22000, requisitos de boas práticas de fabricação incluídos na especificação técnica do segmento (ISO/TS 22002-x) e requisitos adicionais do esquema FSSC. 

Qualquer empresa do segmento alimentício comprometida com seu cliente e com a saúde do consumidor e que procure a melhoria contínua, tem perfil para implantar a ISO 22000, não importando o seu tamanho.

E também há inúmeros benefícios da sua implementação em uma organização, dentre os quais podemos destacar:

  • redução de custos com retrabalho e desperdícios;
  • aumento de oportunidades de mercado, já que muitas empresas grandes só compram de fornecedores que têm o selo ISO 22000 (assim como a ISO 9001);
  • garantia de identificação, avaliação e controle dos riscos para a segurança alimentar, de maneira que os mesmos estejam dentro das suas expectativas e não prejudiquem o consumidor;
  • interação com diferentes áreas da organização, garantindo uma grande conscientização por parte dos colaboradores e propiciando uma comunicação mais clara e objetiva;
  • melhoria da imagem da empresa. 

Diferença entre as normas ISO

Há uma dúvida principal quando se trata das diferenças entre as ISO 22000 e da 9001:

A ISO 22000 foi criada para substituir a ISO 9001 nas empresas do setor alimentício?

Não! De maneira alguma. A primeira versão da ISO 22000 surgiu em 2005 como uma norma com a estrutura da ISO 9001, mas, especificamente desenvolvida para as empresas do segmento de produção de alimentos.

Ou seja, a ISO 22000, é aplicável a todas as organizações inseridas na cadeia produtiva de um alimento, desde as produções primária e industrial, até o varejo e os serviços como transporte, armazenamento e equipamentos. Tem como foco QUALIDADE E SEGURANÇA DE ALIMENTOS. 

Já a ISO 9001 é aplicável a todas as organizações do ramo de serviços e indústrias (não só na área alimentícia) e tem por princípio a QUALIDADE em todos os processos envolvidos na empresa. 

Dessa forma, a ISO 9001 apresenta maior abrangência que a ISO 22000, além de se tratarem de sistemas de gestão diferentes (mas que se complementam).

Cabe a organização estudar detalhadamente os aspectos de cada ISO para, posteriormente, decidir qual a melhor estratégia a se adotar na sua empresa.

Para escolha de qual norma aderir, deve-se levar em conta:

  • custos;
  • requisitos de clientes;
  • disponibilidade de profissionais qualificados;
  • maturidade da empresa;
  • experiência do time da organização;
  • e interação com outros sistemas de gestão.

Tudo isso para que a decisão tomada seja assertiva e coerente.

E como implantar uma dessas normas ISO na minha indústria?

Os requisitos são: possuir empresa com CNPJ e atender às legislações do ramo de atividade. 

Dessa forma, realiza-se um diagnóstico por um especialista da norma e elabora-se uma proposta comercial para a indústria.

Posteriormente, cria-se um cronograma de atividades para a empresa, que é implantado por meio de consultoria e treinamento.

Feito isso, a indústria passa por uma auditoria interna e, por último, um organismo certificador faz a auditoria de certificação. Caso todas as etapas estejam adequadas conforme a norma a indústria recebe o certificado.

As auditorias e certificações para obtenção da ISO cabem aos organismos de certificação reconhecidos pelo IAF (International Accreditation Forum).

Leia também: ISO 9001 na indústria de alimentos – do conceito à implantação, tudo que você precisa saber

Certificar uma organização de acordo com qualquer uma dessas normas significa que essa empresa está preparada para responder às necessidades dos clientes.

E é fato que profissionais que trabalham (ou estão procurando emprego) em indústrias de alimentos que tem ou vão aderir a normas, precisam conhece-las e procurar sempre capacitações que possam ajudar em suas atualizações e orientá-los quanto a aplicação prática de todo esse conhecimento.

Quer conhecer mais a fundo as normas ISO e tirar todas as suas dúvidas sobre elas? Faça já sua pós-graduação no IFOPE e garanta uma formação diferenciada para inserção no mercado.

Pós GQ

Autoria da redatora do Ifope:
Larissa Melo