Você sabe o que é melhoramento genético? Ainda que essa técnica não seja tão conhecida pela população, ela está presente na vida de todos os brasileiros. Seja na agricultura ou pecuária, o melhoramento genético foi uma das grandes colaborações da ciência para esses setores. Essa prática existe a milênios e tem se aperfeiçoado desde então, trazendo resultados cada vez mais satisfatórios. 

Se você quer aprender um pouco mais sobre melhoramento genético, quais seus riscos e benefícios e qual seu impacto na agricultura e pecuária, este texto é para você! Não deixe de conferir. 

Leia também sobre o Mercado de Cultivares, tema alvo em concursos agrônomos.

O que é melhoramento genético?

O melhoramento genético nada mais é do que uma ciência utilizada em plantas e animais para a obtenção de indivíduos ou populações com características específicas. Ou seja, é a seleção ou alteração intencional do material genético de seres vivos, visando o desenvolvimento de características desejáveis. É o caso de frutas sem semente, por exemplo.

Mas para entendermos como é possível alterar os genes de animais e plantas, precisamos entender o que são genes e onde eles se encontram. Um gene é um código que rege as nossas características e está presente em todos os seres vivos. Existem genes que determinam a cor dos olhos, da pele, do cabelo e muito mais! 

Os animais e plantas também possuem genes. Os genes das plantas, por exemplo, definem a cor das flores e sua altura, e essas características são passadas para as suas sementes. 

O melhoramento genético altera esses genes naturais e, consequentemente, as características do indivíduo. Quando se modifica geneticamente um animal ou planta, introduz-se um gene diferente do próprio indivíduo, resultando, assim, em um indivíduo modificado e herdeiro das características contidas no material genético introduzido. 

Todos os genes, sejam humanos, vegetais, animais ou bacterianos, são criados a partir do mesmo material, por isso, os profissionais possuem uma enorme quantidade de características genéticas ao seu dispor, podendo até mesmo transferir genes de uma espécie para outra.

Melhoramento genético na agricultura

O melhoramento genético na agricultura é uma prática tão comum e enraizada na sociedade que o Instituto Agronômico de São Paulo estima que praticamente todas as frutas comercializadas hoje apresentam algum tipo de melhoramento genético. Esse processo é feito, inclusive, para proporcionar o abastecimento em larga escala. 

Essa técnica está presente desde o surgimento da agricultura e começou de forma básica, com métodos clássicos de seleção e cruzamento. Nessa metodologia, os homens separavam as plantas que continham as melhores características, como resistência ao clima e gosto mais agradável, e descartavam as que possuíam características indesejadas. Isso formava uma espécie de semente híbrida, que desenvolvia certas vantagens.

Dessa forma, tornou-se possível a triagem dos melhores genes para futuras gerações. Há milhares de anos, as mulheres já escolhiam e armazenavam os grãos de cevada e trigo que tinham qualidade superior, para depois plantarem.

Esse tipo de melhoramento genético é capaz de produzir organismos geneticamente modificados por meio do cruzamento e da avaliação de resultados, que ajudam na seleção dos melhores descendentes. A ideia consiste em combinar as características mais interessantes de cada variedade e produzir um produto de maior valor comercial.

Essa técnica foi identificada como um método genético quando Gregor Mendel, no século 19, separou linhagens de ervilhas por suas características, e descobriu a possibilidade de gerar futuras linhagens híbridas e melhoradas. 

Apesar de antigo, esse método ainda é utilizado hoje em dia. O processo ocorre em uma estufa, onde são selecionadas variedades macho e fêmea para produzir uma polinização artificial. Por isso, buscam-se produtos que tenham características atraentes aos consumidores, seja pelo formato, pela cor, pelo sabor ou pela resistência à pragas e doenças. Mas, é importante ressaltar que esse tipo de melhoramento genético é mais demorado. 

Com os avanços da ciência e da tecnologia, as práticas de melhoramento genético avançaram significamente. Nos dias atuais, existem técnicas de engenharia genética que selecionam, no DNA de plantas e de outros alimentos, genes que possuem características desejadas. Essa seleção é feita isolando a parte do DNA de cada uma dessas linhagens correspondente às características. Seguindo isso, é possível incluir essas partes no DNA de uma planta que ainda não se desenvolveu, garantindo que ela cresça com as condições pré estabelecidas. Isso é vantajoso, pois, dessa forma, não é mais necessário esperar que a planta ou a fruta se desenvolva para saber se as características foram ou não herdadas. 

Benefícios e vantagens

Mas quais os benefícios do melhoramento genético na agricultura? Se hoje existem alimentos suficientes para atender a demanda da população, podemos dizer que isso acontece devido às técnicas de melhoramento genético.

Graças à biotecnologia, as técnicas de melhoramento genético passaram a ser cada vez mais eficazes, rápidas e significativas. Hoje é possível a produção de produtos muito mais saborosos, nutritivos, com maior facilidade de reprodução e um nível de produtividade elevado. 

Veja algumas vantagens:

  • alimentos com características atraentes ao consumidor, como sabor mais apurado, espécies sem sementes e tempo de maturação;
  • maior tolerância natural à pragas e insetos;
  • preservação do meio ambiente, usando menos água para a diluição dos produtos, menos combustível para pulverizadores, e menor risco de contaminação;
  • tempo de validade do produto mais elevado;
  • melhor qualidade nutricional;
  • maior capacidade de autofecundação das plantas;
  • descendência mais numerosa.

Riscos e desvantagens

Alguns riscos e pontos negativos dos alimentos melhorados geneticamente são:

  • aumento de reações alérgicas;
  • as plantas que não sofreram modificação genética podem ser eliminadas pelo processo de seleção natural, pois, as melhoradas possuem maior resistência às pragas e pesticidas;
  • aumento da resistência aos pesticidas, gerando maior consumo deste tipo de produto;
  • apesar de eliminar pragas prejudiciais à plantação, o cultivo de plantas modificadas pode, também, matar populações benéficas como abelhas, minhocas e outros animais e espécies de plantas. 

Melhoramento genético na pecuária

O melhoramento genético de gado tem como objetivo conseguir fazer com que os animais de um rebanho tenham características mais positivas de produção.

Para se adaptar às grandes mudanças e novos rumos da economia mundial, os pecuaristas precisam utilizar tecnologias que têm como finalidade maximizar a produtividade com maior relação entre custo e benefício. Por isso, os produtores dispõem de programas de melhoramento genético que, quando bem elaborados, permitem a identificação dos melhores animais, com maior probabilidade de obter um bom resultado. 

Como vimos, o melhoramento genético é o processo utilizado com o intuito de alterar geneticamente determinadas populações, por meio do aumento ou diminuição da frequência de determinados genes. Essa técnica é feita de forma a melhorar o desempenho da população em questão e, consequentemente, as características que são consideradas importantes.

Por exemplo, os reprodutores de um rebanho, são os maiores responsáveis pelo progresso genético. Portanto, a escolha correta de um animal com boas características influenciará tanto no melhoramento genético, quanto nos índices reprodutivos do rebanho.

A tecnologia do melhoramento genético de gado pode ser utilizada para aprimorar o crescimento dos animais, a eficiência alimentar, a qualidade da carne, as características reprodutivas e relacionadas à adaptação do animal ao ambiente, a produção e qualidade do leite e a longevidade das vacas.

Veja como essa técnica de melhoramento pode ser realizada:

Seleção e sistemas de acasalamento

Essa metodologia é feita de duas formas: primeiro por meio da seleção, que consiste na escolha dos reprodutores com maior valor genético para influenciar a próxima geração, e depois por meio dos sistemas de acasalamento, nos quais os casais de reprodutores são formados. 

Essa é a maneira mais rápida e eficiente para obter bons resultados com o melhoramento genético. 

Inseminação artificial e fertilização in vitro

A inseminação artificial permite a disponibilização do material genético do animal com melhores características para um grande número de criadores. Sendo assim, seu material genético é utilizado em diversos rebanhos, aumentando o número de descendentes.

Essa biotécnica é utilizada para aumentar a quantidade de animais com genética superior. Sendo usada, inclusive, pela rápida progressão de genética, principalmente em animais de alta reprodução. 

Devido ao desenvolvimento e à redução de custos da fertilização in vitro, esse processo tornou-se mais acessível para os criadores, possibilitando a democratização da utilização do sêmen de animais superiores. 

A fertilização in vitro permite que uma doadora consiga produzir até centenas de bezerros por ano, evitando, assim, o descarte precoce de fêmeas de alta produção, podendo conservar maior tempo de vida das mesmas e promover uma pecuária somente com genética de ponta. 

Objetivo de seleção

Para definir quais aspectos serão buscados no melhoramento genético de gado, é utilizada uma ferramenta chamada objetivo de seleção. Por meio desse método, o criador pode ponderar qual a importância de cada característica, levando em conta o que será mais lucrativo para cada caso.

Benefícios e vantagens

São muitas as vantagens do melhoramento genético na pecuária. Veja alguns exemplos:

  • melhor fertilidade do rebanho por meio da identificação dos melhores reprodutores;
  • melhores índices no ganho de peso;
  • diminuição do intervalo entre gerações;
  • diminuição no custo de produção e melhora na relação custo e benefício;
  • animais testados e com maior valor agregado;
  • otimização dos recursos da propriedade; 
  • aumento na lucratividade; 
  • carne de melhor qualidade para o consumidor.

Riscos e desvantagens

Animais melhorados geneticamente para alta eficiência de produção podem apresentar maior risco de problemas fisiológicos, imunológicos e comportamentais. 

E, então, conseguiu entender um pouco mais sobre melhoramento genético e como ele é usado na agricultura e pecuária? Se você chegou até aqui, aproveite para ler também nosso texto sobre organismos geneticamente modificados e se aprofundar no assunto.