Nos últimos anos têm sido frequente ouvirmos sobre a famosa “crise” que atinge diversos segmentos no país. Mas e na área de alimentos? Esse cenário também é uma realidade? Como anda o crescimento da indústria de alimentos nos quesitos empregabilidade e impacto na economia nos últimos anos?

Confira agora os dados atualizados e quais são as perspectivas para 2019 desse segmento no Brasil.

A Indústria de Alimentos nos Últimos Anos

O setor de alimentos é um dos setores que mais impactam na geração de saldo positivo na balança comercial brasileira, vamos conferir seu crescimento nos dois últimos anos e qual a perspectiva para 2019.

2017

O crescimento da indústria de alimentos foi retomado em 2017, após dois anos consecutivos de retração.

Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Alimentos (ABIA), em 2017 o crescimento nominal da indústria de alimentação foi de 4,6%, com um ganho real no faturamento de 1,01% atingindo a cifra de R$ 642 bilhões, significando uma correlação deste faturamento com o PIB do país da ordem de 9,8%.

2018

Neste ano o setor de alimentos registrou um crescimento de 2,08% em faturamento, atingindo R$ 656 bilhões o que representa 9,6% do PIB.

O total de investimentos em ativos, fusões e aquisições alcançou R$ 21,4 bilhões, registrando um aumento de 13,4%, contra R$ 18,9 bilhões registrados em 2017.

2019

Ainda segundo a ABIA, a previsão é de que indústria brasileira de alimentos apresente um aumento de 2,5% a 3% da produção física (volume) e de 3% a 4% das vendas reais. As exportações também devem crescer até 15%, outro dado digno de destaque. 

Ao longo dos anos, o setor de alimentos foi se direcionando para as exportações de produtos com mais valor agregado, diferente de tempos atrás, em que o foco estava em produtos in natura do agronegócio.   

Exportação de Alimentos Processados

O Brasil é o segundo maior exportador de alimentos industrializados do mundo, permanece no ranking atrás apenas dos Estados Unidos.

Em 2018 o setor exportou para mais de 180 países, o que representou 19,3% do volume total de vendas.

Para termos idéia da expressividade da produção brasileira e quais alimentos envolvidos, vamos observar a tabela abaixo:

Crescimento da Indústria de Alimentos - exportação
    Fonte: USDA/FAO 2017

O destino da produção dos alimentos industrializados é muito variado:

  • 178 países compraram carnes e seus derivados em 2018, mesmo com todos os problemas que esse destacado setor enfrentou, mostrando como esse segmento é importante e consolidado;
  • 162 países importaram açúcares e derivados;
  • 127 compraram conservas de vegetais e frutas, além de sucos;
  • e 122 países adquiriram óleos e gorduras (fonte: siamig.com.br).

Essa industrialização tem grande importância para a agropecuária nacional porque consome cerca de 58% do valor de tudo que é produzido no campo, portanto as expectativas de crescimento da indústria de alimentos repercute no incremento do agronegócio brasileiro.

A Empregabilidade na Indústria de Alimentos

O Brasil apresenta um contingente de 35,7 mil empresas no segmento de alimentos, responsáveis por 1,61 milhão de empregos diretos, respondendo por 26,8% dos empregos da indústria de transformação. 

O setor de alimentos é o maior empregador dentro da indústria brasileira de transformação e qualquer crescimento na indústria de alimentos reflete significativamente na geração e na qualidade de emprego.

Em 2018 foram gerados 13 mil novos postos de trabalho.

Como consequência da expectativa positiva para 2019, é prevista a criação de 40 mil novas vagas, representando um aumento entre 2% e 3% dos empregos (diretos e formais).

Realmente um dos pontos essenciais da indústria alimentícia é gerar empregos! 

Alvos dos Investimentos das Indústrias de Alimentos

Segundo João Dornellas, presidente executivo da ABIA, a tecnologia e a inovação na indústria são essenciais para a competitividade e por esse motivo, os departamentos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) são alvos de investimentos por diversas empresas que tem por objetivo oferecer alimentos seguros, com alto teor nutricional sem abrir mão do sabor, atendendo a uma demanda cada vez mais exigente do consumidor. 

Portanto, nesse cenário promissor e crescente para os próximos anos, há também grandes desafios para as indústrias – a inovação é uma delas.

Há estudos recentes que revelam: a falta de profissional qualificado na indústria de alimentos é um obstáculo para a inovação.

O investimento em P&D engloba também o recrutamento e seleção de profissionais para atender a dinâmica do mercado de alimentos, mais um motivo para você buscar capacitação constante e de qualidade.

Crescimento da Indústria de Alimentos: Pós POA

Outro setor que demanda grande investimento na indústria de alimentos é o controle de qualidade.

Esse departamento tem por objetivo atender as legislações sanitárias vigentes e oferecer, ao exigente consumidor, produtos com identidade e qualidade pré-estabelecidos.

É um setor que emprega muitos engenheiros, veterinários, tecnólogos em alimentos e demais profissionais da área e, por ser muito concorrido, mais uma vez torna-se fundamental que o profissional tenha sólidos conhecimentos sobre as normas que regem a produção de alimentos. 

Profissionais Qualificados na Indústria de Alimentos

Nesse cenário, já podemos visualizar que o ritmo de crescimento do mercado faz com que as indústrias necessitem cada vez mais de profissionais qualificados.

Crescimento da Indústria de Alimentos: Pós POA 2

As instituições de ensino desempenham grande importância para o aprimoramento constante dos profissionais.

Atualmente a disponibilidade de cursos na área de alimentos é imensa, gerando dúvidas e desconfianças quanto à idoneidade, qualidade e posterior reconhecimento no mercado de trabalho.

O primeiro passo é saber se o curso em questão é reconhecido pelo MEC, se apresenta uma grade de conteúdo diferenciado e atualizado e que adicione conhecimentos teóricos baseados na prática da indústria de alimentos, direcionados para sua área de trabalho.

No blog do IFOPE é possível esclarecer alguns pontos importantes sobre o aprimoramento profissional, explicando sobre as melhores estratégias de especialização – já que são dúvidas recorrentes dos profissionais da área.

O IFOPE disponibiliza cursos de capacitação e pós-graduação à distância voltados para profissionais de diversas áreas de formação que atuam na indústria alimentícia.

O planejamento da carreira profissional é responsabilidade, única e exclusivamente, de cada um de nós. Muitos acreditam que é responsabilidade da empresa em que trabalha. Sim, a empresa tem um importante papel no desenvolvimento, mas o interesse em aperfeiçoar, progredir e se especializar deve partir do profissional.

Portanto seja o autor de sua carreira e invista em seu futuro profissional!

Autoria da redatora do Ifope:
Tereza Abujamra 

Gire a roleta e tente a sorte!

  • Sem nenhuma pegadinha!
  • 1 rodada por e-mail
  • Basta digitar seu e-mail e girar
Gire e Ganhe